Nutrição na amamentação

A importância do aleitamento materno

O aleitamento materno deve ser exclusivo até o sexto mês de vida. Os bebês até os seis meses não precisam de chás, sucos, outros leites, nem mesmo de água. Após essa idade, deverá ser dada alimentação complementar apropriada, mas a amamentação deve continuar até o segundo ano de vida da criança ou mais.

Amamentar os bebês imediatamente após o nascimento pode reduzir consideravelmente a mortalidade neonatal aquela que acontece até o 28º dia de vida nos países em desenvolvimento. No Brasil, do total de mortes de crianças com menos de 1 ano, 65,6% ocorrem no período neonatal e 49,4% na primeira semana de vida.

O aleitamento materno na primeira hora de vida é importante tanto para o bebê quanto para a mãe, pois, auxilia nas contrações uterinas, diminuindo o risco de hemorragia. E, além das questões de saúde, a amamentação fortalece o vínculo afetivo entre mãe e filho.

Bebês que são amamentados ficam menos doentes e são mais bem nutridos do que aqueles que ingerem qualquer outro tipo de alimento.

As características do leite materno

O leite materno é muito mais do que uma simples coleção de nutrientes, ele proporciona proteção exclusiva contra infecções e alergias e também estimula o perfeito funcionamento do sistema imunológico (defesa) do bebê. Tem água em quantidade suficiente, mesmo em clima quente e seco o bebê que apenas mama no seio não precisa nem mesmo de água! Ele contém proteína e gordura mais adequadas para a criança e na quantidade certa; também tem mais lactose (açúcar do leite) do que os outros leites.

Possui vitaminas em quantidades suficientes, não há necessidade de usar suplementos vitamínicos; tem ferro em quantidade suficiente tamém. Não há grande quantidade de ferro, mas ele é bem absorvido no intestino da criança Possui quantidades adequadas de sais, cálcio e fósforo.

Possui uma enzima especial (lipase) que digere gorduras, por isso o leite não é "pesado" como outros leites, como o leite de vaca, por exemplo. O leite materno é facilmente digerido e absorvido e absorvido.

Saiba como se alimentar durante a amamentação

Assim como o período da gravidez a deficiência de algum nutriente pode afetar o crescimento e o desenvolvimento do bebê, assim como minar as reservas da mãe. Portanto, deve seguir os mesmos padrões de variedade e qualidade de uma alimentação durante a gestação. O acréscimo de calorias em relação à alimentação normal é de 500 calorias durante os primeiros meses da amamentação, reduzindo gradativamente.

Existem algumas dicas que são preciosas para manter uma quantidade de leite farta e de boa qualidade

  • Tome muito líquido, incluindo a água, sucos e leite. Quanto mais líquido disponível para a produção de leite melhor. O volume total de leite produzido está relacionado diretamente com a frequência de amamentação do bebê.
  • Evite todos os tipos de pimentas, especialmente as picantes, que podem irritar a mucosa do estômago e intestino, tanto da mãe quanto do bebê.
  • O consumo de café, assim como de outras bebidas que contenham cafeína, deve ser moderado a poucas xícaras por dia, uma vez que cafeína em excesso pode causar irritabilidade e perturbar o sono em alguns bebês.

Lembre-se que as orientações contidas aqui são gerais, não consideram casos específicos. Para uma orientação personalizada, consulte um nutricionista

 

Todos os direitos reservados à Nutrição da Gestante © 2015 - Belo Horizonte - Minas Gerais
Web Consult